SEDUR - Secretaria de Desenvolvimento Urbano
Serra quer PPP para Memorial Metropolitano de Niemeyer
Pretende-se atrair investidores e viabilizar a construção com Parceria Público-Privada

Patricia Julio

patricia.alves@serra.es.gov.br

Construir grandes complexos requer muita responsabilidade administrativa, haja vista o risco de um empreendimento não dar certo e virar uma obra grande e cara sem função social, cultural e sem retorno financeiro. Por isso, a Prefeitura da Serra está tentando amarrar o projeto elaborado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, do Memorial Metropolitano da Serra, com um estudo que atenda aos empreendimentos vizinhos do local. A proposta é atrair turistas, investidores e moradores para um polo onde a pessoa poderá encontrar diversas opções de negócios e lazer, possibilitando a construção do complexo com uma Parceria Público-Privada.

Divulgação O Memorial Metropolitano será erguido em Laranjeiras, em frente ao Hospital Dório Silva

Com o estudo de viabilidade para a implantação do Memorial Metropolitano, o próximo passo é apresentar aos empresários a proposta de parceria, pois ele levará em conta outros empreendimentos em andamento. A Serra tem grande capacidade e infraestrutura para o turismo de negócios e o objetivo da administração é intensificar esse potencial.

O estudo prevê pesquisas, análises documentais, levantamentos de dados e fatores que podem impactar na potencialidade do centro cultural. O público-alvo e os hábitos de consumo serão traçados, mas também será projetado o público que poderá ser atraído para o local com as mudanças causadas pelos empreendimentos.

Além disso, serão analisadas dez instituições com perfil similar para compor um estudo comparativo. Serão pesquisados perfis de público, custos envolvidos, oferta de atrações, renda per capta, entre outros fatores relevantes.

O Memorial Metropolitano vai ser erguido no bairro Laranjeiras, em frente ao Hospital Dório Silva. O terreno previsto para a implantação do projeto apresenta-se como uma grande rotatória, de 230,00m de diâmetro, com aproximadamente 41.000,00m², situada em um eixo de caráter metropolitano, na confluência das avenidas, CIVIT (Eldes Scherrer de Souza), que liga a rotatória à BR-101; Talma Rodrigues, que dá acesso ao Centro Industrial de Vitória e Avenida Paulo Pereira Gomes, ligando à rodovia litorânea ES-010, passando por grandes áreas de expansão urbana do município.

A ideia inicial era de elaborar um projeto que contemplasse teatro, mirante, memorial, museu do trabalho, biblioteca, arquivo público municipal, auditório e espaço comercial, com acessibilidade e espaços para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, além de sistemas de ar condicionado central, captação e reaproveitamento de águas pluviais e aquecimento solar.

Informações Técnicas

O Bairro
O bairro Laranjeiras, antes projetado somente para ser um parque residencial, atualmente configura-se como um centro metropolitano e comercial, com a mais importante frente de expansão do mercado imobiliário da Região Metropolitana da Grande Vitória. Encontra-se em processo de requalificação espacial concentrando um mercado especializado que anteriormente era exclusivo da capital, Vitória. A disponibilidade de terras e a boa acessibilidade são fatores que ajudam explicar as novas funções desempenhadas pelo bairro.

Descrição geral do projeto
O projeto deverá proporcionar a construção de um conjunto arquitetônico destinado a abrigar atividades vinculadas à cultura e memória do município da Serra, composto por edificações independentes, porém interligadas:
Edificação 01: Mirante/Monumento
Edificação 02: Teatro Municipal
Edificação 03: Memorial do Povo Serrano

Acesso
Tendo em vista que a área destinada ao projeto encontra-se localizada em um eixo viário de fluxo intenso de veículos, com tendência de ampliação da demanda, em função dos investimentos públicos e privados na região e das características físicas do terreno, sugerimos a utilização do subsolo como alternativa ao acesso tanto de pedestre como de veículos, por um piso localizado no subsolo da edificação.

Subsolo
Ao subsolo caberão as funções de acesso (veículos, pedestres e ciclistas) e estacionamento evitando os tradicionais problemas de segurança no trânsito em função das características da área em questão (rotatória). Desta forma, a solução a ser buscada deverá considerar tanto as demandas do projeto como os estudos viários existentes para o local (a serem encaminhados posteriormente).

Praça
A evolução urbana do município da Serra não se fez como as muitas cidades brasileiras que tiveram sua expansão a partir dos arredores do antigo núcleo colonial. Composta por uma grande quantidade de conjuntos habitacionais, a praça da igreja matriz, do núcleo fundador, não se constituiu como referência ao conjunto dos seus habitantes. A centralidade exercida pela região de Laranjeiras, juntamente com a relevância de um projeto de grande magnitude impõe a concepção de uma praça que possa “recuperar essa urbanidade perdida”.

Acessada pelo subsolo a praça deverá compor o conjunto arquitetônico juntamente com as demais edificações descritas anteriormente. Destinada ao lazer contemplativo, a praça deverá propiciar também grandes concentrações advindas de usos variados como, por exemplo, atividades culturais ao ar livre, manifestações públicas e feiras temáticas.

Edificação 01: Mirante/Monumento
O futuro anunciado da região de Laranjeiras, mais especificamente do entorno da área destinada ao Memorial Metropolitano da Serra, nos revela um forte adensamento urbano, verticalização das construções e intensos fluxos de pessoas e mercadorias. A privilegiada visão do monte Mestre Álvaro, possibilitada pelo atual modelo de ocupação, não está assegurada com os novos parâmetros urbanísticos. Este elemento construído – o mirante/monumento – deverá possibilitar, concomitantemente, a criação de um marco na paisagem, bem como o resgate da visão do patrimônio natural.

Edificação 02: Teatro Municipal
O Teatro municipal deverá ter capacidade para uma platéia de 800 pessoas, palco com dimensões que possibilite às mais variadas modalidades artísticas: teatro, danças, óperas e musicais; demais dependências administrativas e de apoio previstas para edificação desta natureza. O palco reversível deverá proporcionar apresentações voltadas tanto para o interior do teatro como para a praça de eventos. O foyer, além de sala de espera, deverá possibilitar a integração dos usuários e a previsão de instalação de um café/bar.

Edificação 03: Memorial do Povo Serrano
Espaço destinado ao resgate e preservação da memória histórica do município da Serra. Além de um espaço destinado a fazer o povo serrano lembrar quem ele é, o Memorial será um centro de fomento à pesquisa científica em parceria com instituições artísticas e educacionais.

Este bloco abrigará diversos setores do Memorial Metropolitano: museu, biblioteca pública municipal, arquivo público municipal, auditório e um espaço comercial com lojas, cafés e restaurantes.

Museu do Trabalho
O objetivo do museu será contar a história do povo serrano pelo viés do trabalho. O projeto museológico partirá dos registros da escravidão até a história recente da industrialização do município para constituir seu acervo permanente. A proposta deverá contemplar 01 salão para exposição do acervo permanente, 03 galerias para exposições itinerantes; e demais dependências administrativas, de apoio técnico e serviços.

Biblioteca Pública Municipal
Projetada para uma capacidade inicial de XX mil livros, a biblioteca será destinada a toda comunidade, porém com foco no estudante da rede pública municipal. Deverá conter salão de consultas, 05 salas para estudo em grupos de 8 pessoas, videoteca, terminais de acesso aos recursos digitalizados, dentre outros.

Arquivo Público Municipal
O município da Serra ainda não possui um arquivo público organizado, desta forma não se pode estimar exatamente o volume do acervo para
dimensionamento dos ambientes. Recomenda-se projetar espaços mais compactos, uma vez que são mais eficientes quanto à manutenção das condições ambientais, necessárias à preservação.

Conforme o Conselho Nacional de Arquivos, a área destinada aos depósitos deve ser em torno de 60% da área construída; o depósito deve ter uma área máxima de 200,00m²; da área restante, 15% deverão ser destinados aos trabalhos técnicos e administrativos e 25% para o público. É também importante prever a ampliação do arquivo em virtude do crescimento do acervo.

Atualmente, a maior parte dos documentos arquivísticos é constituída de papel.
Entretanto, a quantidade de documentos em outros materiais como filmes, discos e meios magnéticos aumenta rapidamente. As necessidades específicas para a consulta, guarda e preservação desses documentos devem ser consideradas no planejamento do edifício. A altura do pé direito não deve exceder ao estabelecido pela regulamentação local: 2,70m.

Auditório
Auditório para fins variados deverá ter capacidade para uma platéia de 240 lugares, palco para pequenas apresentações e sala de projeção para exibição de filmes.

Espaço Comercial
Este ambiente deverá contemplar tanto as atividades comerciais: 02
restaurantes, 01 cafeteria e 05 lojas (livrarias, artesanato, suvenires, etc.), como atividades de apoio: hall de acesso, guarda-volumes, sanitários, administração e jardins.
 

 

28/06/2012