Escola ensina homens a combater o machismo

A EMEF Leonel de Moura Brizola, em Jacaraípe, promove palestra e ações educativas com alunos, pais e comunidade
Escola ensina homens a combater o machismo
TEXTO: Jéssica Romanha   FOTO: Jansen Lube/Secom-PMS

O número de mulheres vítimas de violência no estado é preocupante. Só nos quatro primeiros meses do ano foram registradas 32 vítimas fatais. No mês de abril o número de mulheres vítimas de feminicídio mais do que dobrou, se comparado ao mesmo período do ano anterior, passando de 2 para 5 mulheres.

Diante dos fatos, a Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Leonel de Moura Brizola, em Jacaraípe, promove palestra e ações educativas com alunos, pais e comunidade. 

A diretora da instituição conta que houve capacitação de profissionais da escola pela Secretaria de Políticas Públicas para as Mulheres da Serra, por meio da campanha: Quem ama abraça fazendo escola no município da Serra.

“Estamos abordando a temática de violência contra a mulher e empoderamento feminino durante as aulas; alunos e professores estão produzindo murais sobre o assunto e vamos promover palestras na escola. Afinal, esse tema não é para ser levantado, apenas, em datas especiais. É um drama que a nossa sociedade enfrenta”, ressaltou Flávia Dantas, diretora da Emef Leonel.

Nos dias 11 e 12 de junho haverá um bate-papo só para mulheres, já nos dias 17, 18 e 19 o público-alvo é o masculino. O encontro acontece das 16h às 17 horas na EMEF Leonel de Moura Brizola, situada na Avenida Todos os Santos, no bairro Das Laranjeiras, em Jacaraípe. Os interessados devem procurar a unidade de ensino para fazer sua inscrição.

Campanha

Segundo a secretária municipal de Políticas Públicas para as Mulheres (Seppom), Luciana Mallini, a campanha “Quem ama abraça fazendo escola no município da Serra” visa capacitar os profissionais da educação para se tornarem multiplicadores de conhecimentos junto a seus alunos. Ao todo, 38 escolas participaram do treinamento.

De acordo com o secretário de Educação da Serra, Gelson Junquilho, a ação tem como objetivo despertar o olhar de sensibilidade dos professores para questões de sala de aula correlacionadas ao aluno com comportamento disperso, ou mesmo com agressividade e desrespeito aos colegas.

“Em alguns casos esses comportamentos estão correlacionados à repetição e à reprodução da violência doméstica e familiar”.